Vendas de material de construção têm alta de 2% em setembro

Liberação do saque imediato do FGTS e melhora na economia foram responsáveis pelo desempenho, segundo pesquisa da Anamaco


As vendas nas lojas de material de construção cresceram 2% em setembro, na comparação com agosto e 9% em relação ao mesmo período, em 2018. No acumulado do ano o crescimento está em 3,5% e, nos últimos 12 meses, em 4,5%. Os dados são da Pesquisa Tracking realizada pelo Instituto de Pesquisas da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), que ouviu 530 lojistas nas cinco regiões do País, entre 24 e 28 de setembro.


Segundo o presidente da Anamaco, Cláudio Conz, este período aponta as tendências do setor para o fim do ano.


“Setembro é um mês de baixo apelo promocional, mas é um termômetro importante para os últimos meses do ano, porque tradicionalmente as pessoas iniciam pequenas reformas e reparos para deixar a casa pronta para as festas de fim de ano”,

explica.


Conz comentou ainda que a iniciativa do Governo Federal de promover a Semana do Brasil,para fomentar o setor de comércio e serviços em setembro foi positiva.


“Foi uma ação importante para criarmos uma nova tradição para o consumidor brasileiro. Tenho certeza de que nos próximos anos teremos uma adesão ainda maior de lojistas e de clientes”,

completa. Além disso, ele destacou que contribuíram com o setor o saque imediato do FGTS e a previsão de crescimento da economia de 0,81% para 0,85%.


Vendas no Nordeste cresceram 12% no mês          


Segundo o Tracking da Anamaco, as regiões com melhor desempenho no mês foram Nordeste (12%), Sudeste (6%) e Norte (3%). Já as regiões Sul e Centro-Oeste tiveram uma leve retração: a queda nas vendas foi de 4% e 2%, respectivamente.


No levantamento por categorias, tintas registrou crescimento de 11% no período, enquanto revestimentos cerâmicos e telhas de fibrocimento cresceram 8% e 4%, respectivamente.

Para outubro, a expectativa é de melhora nas vendas em todo o País. No Nordeste, 84% dos lojistas entrevistados estão otimistas com o desempenho no mês, seguidos pelos lojistas do Sul (74%), Norte (71%), Centro-Oeste (65%) e Sudeste (62%).


Para 2019, a expectativa da entidade é encerrar o ano com 5% de crescimento sobre 2018, quando o setor registrou faturamento recorde de R$ 122 bilhões.


A Pesquisa Tracking Anamaco é realizada pelo Instituto de Pesquisas da Anamaco e tem o apoio da Anfacer, Abrafati e Instituto Crisotila Brasil.


Fonte: Revista Anamaco