Recorde de navios parados pode afetar vendas no varejo

Black Friday ameaçada. Varejistas começam a ligar o alerta às vésperas das datas mais importantes do ano com os problemas enfrentados no transporte marítimo. Por quê? Nessa semana, quarenta e quatro navios porta-contêineres estão parados, esperando a entrada nos dois maiores portos norte-americanos. Um recorde desde o início da pandemia.


Assim como nos aeroportos, o mar também está rígido com os protocolos de segurança e testagem contra o vírus, e isso fez com que várias embarcações mudassem rotas e desembarques nos últimos meses, especialmente com o avanço da Delta


A relevância do assunto


Cerca de 70% das mercadorias físicas comercializadas mundialmente são transportadas por vias marítimas, o principal meio de transporte comercial do planeta.


Com Black Friday e Natal chegando, a preocupação — e o trânsito — é maior ainda.


Na prática, o que isso influencia? Pense que boa parte dos produtos aqui no Brasil vêm de fora e passam ou dependem — mesmo que indiretamente — do translado China-Estados Unidos.


Cada dia parado, é um dia a mais de custos para os importadores.


Efeito dominó: Maior custo de translado = aumento do frete = aumento do preço final.


Olhando para frente… Especialistas da indústria acreditam que a capacidade do transporte marítimo somente normalize em meados do próximo ano.