CONFIANÇA DO CONSUMIDOR RECUA EM NOVEMBRO



O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre), caiu 1,4 ponto em novembro, para 74,9 pontos, menor valor desde abril (72,5). Em médias móveis trimestrais, manteve-se em queda ao ceder 2,3 pontos para 75,5 pontos, sendo o terceiro mês consecutivo de retração.


De acordo com o estudo, no mês, o ICC foi influenciado pela piora tanto na avaliação da situação corrente quanto das expectativas. O Índice de Situação Atual (ISA) diminuiu 2,1 pontos, para 66,9 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) caiu 1,0 ponto, para 81,4 pontos.


A piora da avaliação dos consumidores sobre a situação atual foi puxada por deterioração da situação econômica local e das finanças das famílias. O indicador que mede a percepção dos consumidores sobre a situação econômica no momento caiu 2,3 pontos em novembro, para 72,5 pontos e o que mede a satisfação sobre as finanças pessoais, 1,7 ponto, para 62,1 pontos. Ambos se mantêm em patamar muito baixo em termos históricos.


Com relação às expectativas para os próximos meses, a pesquisa revela que o indicador que mais influenciou o IE foi o que mede as perspectivas sobre a situação financeira familiar, que recuou 3,5 pontos, para 80,0 pontos, eliminando a recuperação acumulada no mês anterior, quando tinha avançado 3,8 pontos. O indicador que mede as expectativas sobre a situação econômica subiu 1,8 ponto, para 100,3 pontos. Mas, mesmo com melhores perspectivas financeiras familiares, o ímpeto de compras para próximos meses continuou caindo pelo terceiro mês consecutivo, 1,1 ponto para 66,4 pontos.


Fonte: http://www.revistaanamaco.com.br/confianca-do-consumidor-recua-em-novembro